Projeto Expedição Ushuaia – Moto 2012 – 15.000 km

Postado por Gui Figueiredo em janeiro - 26 - 2012 com 0 Comentários

 

Mapa detalhado da viagem: A rota usada foi a linha vermelha contínua na ida e na volta. Depois de Buenos Aires andei pela Rota 3 até o Ushuaia.

Olá pessoal

Foi difícil para mim postar dia a dia fotos e fazer os relatos. Não conseguiria descrever tudo o que acontecia durante a viagem, nem se conseguisse postar conseguiria descrever todas as minhas emoções, sensações, e claro um pouco de medo misturado com adrenalina.

Vou tentar relatar tudo o que aconteceu durante a viagem passo a passo.

Essa viagem foi programada há um ano e fui construindo tudo desde o início que é primeiramente o sonho de realizar uma expedição desse porte.

A primeira parte foi há compra dos equipamentos que me custaram cerca de R$7.000,00 partindo do princípio que não tinha nada se tratando de uma viagem para o Ushuaia.

A segunda parte foi a moto que eu já tinha, mas todas as peças de desgaste teriam que ser trocadas, e isso é claro tem um custo.Peças reservas para manutenção tem que ser levadas em consideração também.

A terceira parte foi a grana para a viagem, que dessa vez foi a parte mais difícil. A data da viagem teve que ser adiada, pois se tratando de uma viagem para o Ushuaia, teria que ser feita no verão até o dia 21 de março, e nesse período empresas que me apóiam, passam por um momento de poucas vendas e a conseqüência disso é a dificuldade para viabilizar as cotas de patrocínio necessárias para realização da expedição.

Trocando em miúdos, no final consegui a grana e marcamos uma nova data para a saída. Dia 25/02/2012 30 dias 20.000km.

1 DIA- 860KM – BH/Curitiba

Muita expectativa e até que em fim chegou o dia 25. Saí de casa as 4:30 am em direção a minha primeira etapa, a minha meta diária seria 700 a  800 km por dia, cheguei perto de Curitiba 860km rodados nada mal para o primeiro dia.

2 DIA – 950KM Curitiba/Porto Alegre

No segundo dia já um pouco mais tranqüilo cheguei a Porto Alegre e rodei 960 km.

3 DIA  – 1100KM Porto Alegre/Colônia Del Sacramento

No terceiro dia rodei 1.100km e cheguei a Colônia Del Sacramento, local já programado para a travessia do Rio da Prata. Cheguei por volta das 18:00h e chegando ao porto não consegui o embarque no mesmo dia.Fiz a reserva para dia seguinte pelo valor de 550 pesos  em torno de R$250,00 por pessoa  e no meu caso junto com a moto.Após sair do porto fui buscar um albergue e felizmente achei um bem legal o Sur Hostel que fica bem perto do porto com o valor de 114 pesos em quarto coletivo, por sinal muito bom mesmo eu recomendo.

O Ferry foi marcado para as 5:30 am com check- in uma hora antes .

4 DIA Colônia/Buenos Aires/Bahia Blanca

Chegando ao porto debaixo de tempestade embarquei e segui rumo a Buenos Aires. Dentro do Ferry conheci o Sergio que percebi que era um enviado de Deus para me dar dicas fundamentais que iriam me salvar mais adiante.

O Sergio estava vindo da Venezuela, e pela máquina que ele estava logo percebi que era um cara com experiência estava em uma BMW 1200rs uma máquina, e que é a moto dos meus sonhos já há algum tempo.

Perguntou para mim se poderia dar algumas dicas para que eu pudesse  chegar ao Ushuaia , pois ele estava vindo de lá, e me passou bastante confiança nas suas indicações.Mandou eu comprar mais galões de gasolina e amarrar os meus alforges para não dar problema com o vento ainda desconhecido da minha parte mas temido por todos que vão nessa direção.

Não deu outra segui as suas dicas a risca e de fato foram cruciais para enfrentar as dificuldades ao longo do roteiro. Despedi do Sergio no Porto e segui em frente para o quarto trecho da expedição, saindo de Buenos Aires em direção a Bahia Blanca não tive problemas nesse trecho cheguei em uma “zona” literalmente o albergue não era legal e estava  cansado e resolvi  ficar por ali mesmo.Se você não entendeu ainda o sentido da palavra zona vou te explicar: área de baixo meretrício, fui telefonar para a Glaucia e dei de cara com aquele traveco de 2 metros de altura, abaixei a cabeça e apertei o passo, bem tranqüilo.

Até o momento, já estava bem adaptado  com moto apesar de muita bagagem a moto estava comportando bem, sem maiores alterações. A fama do argentino de uma pessoa brigona, que trata mal os brasileiros, isso não é verdade são bastante atenciosos, precisos  na informações bem receptivos.

5 DIA 670KM Bahia Blanca/Puerto Madryn

Nessa etapa parti de Bahia Blanca em direção Puerto Madryn e foi aí que comecei a conhecer o vento tão falado nessa região. Avistei uma linda praia e parei no acostamento para tirar uma foto, e quando percebi já estava no chão com moto e tudo. Uma rajada de vento me pegou de lado, caí e não consegui levantá-la  pois são aproximadamente 200kilos moto e bagagem.

Nada de ferimentos nem lesões e um carro logo parou para me ajudar. Levantamos a moto , com dificuldade e rapidamente segui viagem.Foi logo em seguida que aconteceu um dos fatos mais engraçados da expedição.Blits policial, e o policial me perguntou se eu tinha uma cubierta reserva e respondi de pronto que estava no alforge o saco de dormir.Ele sem entender o que estava falado direito mandou eu seguir em frente, mais adiante percebi que tinha acontecido um fato inusitado.Cubierta não é coberta para frio e sim pneu em casteliano.Foi hilário, e ainda perguntei se estava muito frio na região.Chegando em Puerto Madryn achei um albergue bem aconchegante com apartamentos individuais e uma cozinha bem bacana.

6 DIA 880KMPuerto Madryn/Comodoro Rivadavia

Estava disposto achegar no Ushuaia em 9 dias e segui para Comodoro Rivadavia, trecho duro, vento fortíssimo , estradas muito movimentadas e aduanas a vontade.Parei em Puerto Deseado depois de Comodoro.

7 dia Comodoro Rivadavia/ Rio Gallegos

Não sabia mais onde era Chile e Argentina, muitas paradas em barreiras policiais, como venho informando sempre muito gentis e agradáveis na vistoria dos documentos.Parei em Puerto San Julian, passando  por mais alguma s barreiras policiais.

8 DIA  Puerto San Julian/Rio Gallegos/Ushuaia

Dia durissímo, vento forte, frio, rípio ou seja 140km de estradas de terra, mas foi um dos dias que mais gostei.Passei um gagasso pois cheguei em um posto de combustível para abastecer e não era mais Argentina e sim Chile e eu não tinha nenhum dinheiro clileno.O cara do posto não aceitou peso e nem cartão, e agora? Mandou que eu fosse a um hotel trocar a grana e rapidinho já estava com o dinheiro clileno na mão.

Encontrei uns gringos de BMW parados no posto e me deram um by, e foram embora. Fiquei puto e falei, pego esses caras mais adiante.Coloquei a gasolina rápido e parti par o rípio, chuvendo.Nesse terreno não tive problema algum acelerei a tornado e mantive 100/110km e logo alcancei os caras e não respeitei as BMW fui embora e a tornado na terra falou bonito.

Mais uma vez Aduana e chegava definitivamente os 300 km finais.  Para mim foi um alívio saber que os 300km finais não era de rípio e sim de asfalto e por sinal um tapete.

Esses 500 km finais são realmente muito duros e você chega um bagasso no Ushuaia.

9 dia Ushuaia

Achei a cidade o Máximo muitas coisas para fazer, Glaciar Martial, Parque Nacional Terra  do Fuego, passeio no Canal de Beagle, rolé de moto por toda a cidade, compras com preços fantásticos.

Foram três dias incríveis, que vão deixar muita saudade e com certeza um retorno um dia  para aproveitar com mais calma os atrativos da cidade.

Fiquei no Hostel Amanhecer de La Bahia muito aconchegante e extremamente limpo por 70 pesos em quarto coletivo muito barato e vale bem à pena. www.argentinahostels.com.

A dona explica bem a dinâmica da cidade e explica bem onde ficam supermercados, atrativos etc.

Chegou o dia do retorno e estava preocupado com o pneu traseiro e consegui mais adiante em Rio Grande 1000km do Ushuaia por indicação de um argentino. É fundamental a manutenção da moto dia a dia, óleo na corrente, limpeza com WD no carburador, básico etc.

Novamente passamos pelos 500 km até Rio Gallegos , várias aduanas, rípios e muito vento.Tinha a intenção de passar pelo Paraguai e entrar por Foz do Iguaçu, mas teria um probleminha mais adiante.Já no terceiro dia de retorno minha moto apagou o painel e percebi pela experiência de muito anos ,que a moto estava tendo uma pani elétrica.Fiquei assustado, apreensivo com medo tudo ao mesmo tempo.A moto pegou novamente após o abastecimento e segui em frente, o meu medo era que a moto parasse pois já era 8:30 pm e nesse trecho não tinha nada, fiquei com o coração na mão, para não dizer outra coisa.Há trechos de aproximadamente 300 a 400km sem nada, um ou dois postos que podem estar sem gasolina.

Orei  á Deus e pedi para que ele me levasse para a cidade mais adiante Puerto Madryn onde já conhecia um mecânico de vista, e o albergue onde já tinha ficado dias  atrás.

Passei a noite no albergue e pela manhã fui ao encontro da oficina, demorei para encontrar, mas enfim achei o mecânico e ele deu logo o diaguinóstico. Retificador de voltagem e bateria foram pro saco.Morri em 800 pesos e em 2 horas a moto já estava pronta.Segui um pouco apreensivo com a moto  mas a medida que os quilômetros foram passando voltou a confiança e não teve jeito, torci a mão no acelerador e cheguei em Buenos Aires.Resolvi fazer diferente e não peguei o ferry para Colônia Del Sacramento, fui por terra e me dei mal.Trânsito pesadíssimo na cidade e 400km de terror até chegar ao Uruguai novamente em Colônia.Albergue lotado e fui ao encontro de outro hotel para ficar.Os preços não estavam atrativos, e voltei ao albergue e apesar de estar com a placa lotado e consegui uma vaga.

Descansei e me preparei psicológicamente para os 3.000km finais , passei por Punta Del Leste e não resisti a um mergulho no mar do Uruguai.Passei pela fronteira e novamente Porto Alegre, Curitiba, Regis Bitencurtt, São Paulo e enfim Belo Horizonte.

A programação era entrar por Foz do Iguaçu, mas a bíblia manda nos termos prudência e a grana até daria, mas não quis arriscar, pois tinha um cartão e a maioria dos postos de combustível não aceitam esse tipo de pagamento.

Fazendo um balanço de tudo, foi uma das viagens mais incríveis que já realizei, a sensação de dever cumprido é fantástica .Recomendo a todos essa viagem ao Ushuaia, é incrível e emocionante.

Agradecimentos a todos os patrocinadores: Halt Gráfica, Ponto Org Formaturas, Tripp Aventura, Contorno Audio e Vídeo, Adesiva Car, Oficina da Foto, Bar do Marcinho e claro minha Tia Lea Lêda e meu grande amigo Antônio Carlos, e todos aqueles que oraram para que Deus me guardasse nessa expedição.

Agradecimentos especiais a Deus que demonstrou por várias vezes que esteve e está super presente não só na viagem, mas em todos os instantes na minha vida. E com carinho especial para minha esposa Glaucia, e meu filho André grandes incentivadores e apoiadores dos meus sonhos, e de minha grande vontade de realizá-los.

 


Patrocinadores:

TRIPP AVENTURA     HALT GRÁFICA     ORG FORMATURAS


Apoio:

ADESIVA CAR - BH SIGNS       CONTORNO ÁUDIO E VÍDEO     VERDE MINAS - TURÍSMO ECOLÓGICO     OFICINA DA FOTO     BAR DO MARCINHO  CREDEQ

 


  • RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube